segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

He...


Ainda há no mundo homens educados e gentis E que ao invés de apenas se apaixonarem, amem perdidamente?

Será que um dia existiu este homem que, para o qual, bastaria apenas aquela mulher? Sendo ela, aos seus olhos, a mais bela, a mais interessante e impressionante. Simplesmente, a mais mais?

Existirá homem que te olhe tão docemente depois de 40,50 anos de casados?Que depois de tanto tempo juntos continue fazendo planos com sua parceira?E que vez por outra, deixe um bilhete carinhoso na mesinha de cabeceira ou uma rosa perto da escova de dentes?

Alguém tem notícia deste homem que talvez nem tenha nascido e que dá o seu sorriso para fazer nascer o sorriso dela?

Um suspiro demorado, profundo e sem qualquer resposta. Haverá mesmo o homem que a escute e também fale, que tenha ombros, colo e também o melhor abraço do mundo? Tenho dúvidas sobre a existência deste ser que além disso, faz caretas pra ela sorrir e leve sua bolsa extravagante quando ela não estiver mais podendo nem consigo mesma.

Não sei se este homem existe na realidade.Sei que a primeira parte do todo já foi feito: a mulher que o deseja com toda sua força.

She...(lê-se He)

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Dilermando: passaporte no gerúndio


Dilermando Reis é uma viagem com vários destinos. Adiante são minhas impressões sobre algumas canções executadas por este músico incrível. Escrevi de acordo com o que ouvia; portanto, escute-as enquanto lê. Faz parte do ritual.Do contrário, nada fará sentido.

P.S.:Alguns vídeos não são com Dilermando.Não encontrei todos.

Esta me transporta para o cinema mudo. Poderia ser trilha de Chaplin e suas perninhas apressadas. Na minha realidade, parece o dia de fazer a faxina em casa, tirar pó das coisas, botar roupa pra lavar, reclamar do latido do cachorro que mora ao lado, amarrar o cabelo pra não atrapalhar na labuta, enxugar a testa com o antebraço e ao final dia passar três horas no banho achando que o dia foi o maior barato!rs...Avante!rs

Há um par de taças de tinto seco!Aquele ar de mistério na sala. Uma conversa que diz uma coisa, mas quer falar outra. As mãos que não fazem idéia de como se comportar. Ambos esperando que até o final da noite ainda sobrem lábios na boca depois de tantas mordiscadas... E numa reviravolta, as taças quase secas são deixadas por não sei onde.

Nesta, eu poria por sobre, um soneto de Vinícius ou Tom. Parece tanto com o Sarau do Cinéas. Aquelas pessoas leves, o ambiente... um aconchego só. Parece também com dor de amor: sofrida, calada, desesperadamente inerte e com gritos agudos por dentro. 

Mesmo sendo da década de 60, esta música me remete aos anos vinte e à primeira fase do movimento modernista, juntamente com todos os seus adereços: semana de arte moderna, revista Klaxon, Tarsila, Pagu, aqueles chapéus maravilhosos usados pelas mulheres, bondinho e tudo o que reflete a exuberância daquele momento histórico.

Basta minha audição avistar esta canção pra minha face espanhola surgir. Rodopiando com meu vestido longo, estampado e rodado, cercada por homens sentados, de olhos atentos a todos os meus passos. Levantando a saia com a mão esquerda até a altura do joelho. Na outra mão, a castanhola frenética. O pisado firme no chão é o metrônomo. O batom encarnado e os olhos marcantes fitam um a um. Não poderia faltar, claro, a flor no cabelo.

Tenho associado esta à Confeitaria Colombo, no Rio de Janeiro, mesmo sem conhecê-la. Assim como a música, a Confeitaria tem um requinte desde a fundação, em 1894. Antigamente, apenas a alta sociedade carioca tinha acesso ao lugar. Eram homens de grandes negócios, cronistas e mulheres, também da hight society. Hoje, com a arquitetura original ainda conservada, a Colombo mantém seu charme e elegância.

 (Abismo de Rosas)
Vejo um casal de cabeças branquinhas e olhares tão cúmplices... Aqui, o mais profundo amor: sentido, alegre, triste, doído, amado, lutado, desejado, de bodas. O amor vivido em sua plenitude. Por entre os dois,tantos momentos, perdas, aniversários de filhos e netos, desentendimentos, perdões, viagens, confidências, gargalhadas. E a certeza de que terminarão a vida assim...de mãos dadas.

(Tristesse)
Tristesse é a cara de Natal europeu. Criancinhas com bochechas rosadas. Todas empacotadas e fazendo “guerra” com bolinhas de neve. Na casa, um pinheiro, perto da lareira, cheinho de enfeites natalinos e os presentes ansiosos para serem descobertos.

Pra terminar, um boêmio trajando terno branco e fazendo serenata na janela da moça. Ele querendo o “sim”, mas não tendo, vai cantarolar em outra e outra e outra janela até conseguir a resposta afirmativa! Como ama, este rapaz!rsrs

                                                                  

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

De REPENTE...Bela














Com diz o poetinha
Beleza é fundamental
Me desculpem se as feias
Não aparecem no jornal
Mas é que gente bem feia
Deve ficar no quintal

***

Gente bela incomoda
Pelo fato de existir
É tanta gente falando
Dá vontade é de sorrir
Falam até da pobre moça
Porque é a mais bela daqui
****

Pois até a mãe da moça
Não está se agüentando
Fica dizendo pra filha
Que ela está embarangando
A beleza incomoda
Até a chefe do rebanho

***

Tem o lado positivo
De ter tanta formosura
É convite toda hora
Nem precisa da candura
Mas se tiver é melhor
Pra fechar até a rua

***

Quem não nasceu com beleza
É melhor se agoniar
Estude,trabalhe,lute
Se torne bem popular
Compre um terno bonito
Que já dá pra despistar

*** 

Encerro esta questão
Com conselho que vou dar
Pra você que é bonito
Não se deixe abalar
Pela inveja do povo
Feio deste lugar!

*

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

As meninas da Acésio

Eu ainda morava no Santa Marta.Pra mim era um prazer acordar cedo todos os dias e ir caminhando por dentro do condomínio até o ponto de ônibus pra ir trabalhar.Amava os afagos do vento, sempre me pegando pela mão e acariciando meu rosto.Naquela manhã de setembro de 2008 eu encontrei Amanda sentada no banquinho de cimento esperando o "verdão" passar. Estava diferente.Visivelmente com problemas,mas ainda tão doce. Fui abraçá-la com o corpo e toda a alma.Sorrisão querendo passar um pouco da minha paz matinal à ex-vizinha tão vulnerável naquele instante.

No decorrer do meu gesto acolhedor ela se esquivou. Disse que não era pra eu abraçá-la, porque fazia uma semana que não tomava banho e não queria sujar minha blusa branca.Disse isso com a gratidão e humildade maior do mundo.Insisti: "Que bobagem!Deixa eu te dar um abraço.Anda"! Se esquivou mais um vez e eu respeitei sua vontade. Puxei assunto pra ver se tinha alguma palavra que pudesse tirá-la daquela angústia guardada numa grande caixa miudinha guardada dentro de tantas outras. Desconversava. Olhava pra mim como se tivesse olhando a imagem de uma santa. Os olhos brilhavam. Surgiu um sorriso devagar sobre a pele cor de leite.E disse: "Você se tornou uma linda mulher,Larissa"! Deu um nó na garganta. Sabia que tinha algo muito errado,mas não sabia o quê,como,quanto.

Finalmente chegou o "verdão" rumo ao centro da cidade. Entramos. Na hora de passar na roleta ela me perguntou: "Você é jornalista,não é?". Com minha resposta afirmativa ela continuou: "Você deveria fazer um livro sobre as meninas da nossa rua. O nome do livro seria 'As meninas da Acésio'. Ela ficou sentada na parte da frente e passei para a parte de trás emocionada com aquele pedido. Ela estava fraca,pálida, mas ainda conseguia ser gentil e linda.Ela se orgulhava de ter crescido naquela rua comigo e tantas outras garotas: Letícia,Laís,Thábita,Ellen,Larice,Marcela...

Dois dias depois do nosso encontro ela se foi de forma trágica. Queria ter escrito isso antes, principalmente para as "meninas da Acésio", mas era muito sofrido verbalizar esta passagem. Enquanto escrevia este texto recebi a ligação de um amigo que perguntou se eu estava gripada.Eram as lágrimas guardadas por três anos que estavam vindo à tona.
 

domingo, 23 de outubro de 2011

Pimenta da vida!


Tesão!Não por trabalho ou novos desafios.Nada disso!Coisa de pele mesmo.Cheiro,suor, feromônio, respiração descompassada,elevador descontrolado na barriga. Basta aquela pessoa se aproximar para os ponteiros do seu corpo girarem ao contrário.É uma beleza.Ah vida! O que seria de um vatapá sem a pimenta? O que seria a vida sem o tesão,a tara, o desejo?

Muita coisa pode despertar o tesão.Têm as coisas manjadas,né?!Inteligência, bom humor, beleza, cheiro...E tem também o "q" nos por menores.Um jeito de caminhar, a altura da fala casada com os movimentos que a boca faz, a ponta do nariz que mexe quando vai olhar o retrovisor, um jeito de olhar de banda, idéias doidas, olhos inchados ao acordar, roupa bem velhinha(quase transparente). Certas gentilezas são muito tesudas! Uma pessoa conseguir dizer que a deseja daqueeeeele jeito só com um olhar elegante e até respeitoso...é de matar!

Me divirto quando esse tesão não pode ou pelo menos não deve ser revelado. Me rio por dentro.Busco no pensamento mil formas de camuflá-lo. Quando crianças, éramos muito mais astutos em fazer isso:brincar de esconde-esconde. Nos nossos "balões" os pensamentos conversam entre si: "Não posso olhar tanto". "Se eu sorrir demais vou dar pinta". "Se eu o abraçar um pouco mais forte ele vai sentir o quanto meu coração tá acelerado". "Vou me fazer de doida mesmo sabendo que ele tá cheirando meu cabelo sem tocá-lo". E mesmo com todas estas reservas,você ainda se pega mordendo os lábios,abrindo e fechando o celular milhares de vezes ou numa denúncia orgâncica.Fica com o rosto completamente corado.Esta é fatal!rsrs

 
 

sábado, 8 de outubro de 2011

Cantigas de roda!Sei....

Viro e reviro meu juízo e não encontro o porquê das principais músicas infantis terem temas tão trágicos. É um menino que "atirou o pau no gato,mas o gato não morreu".Então o garotinho botou mesmo foi pra matar?Credo!Ou então,uma canoa que vira,porque a criança não soube remar e com isso foi parar todo mundo no fundo do mar.Sem falar no "boi da cara preta".Sem comentários.

Ah!Não podemos esquecer do "sabiá lá na gaiola fez um buraquinho.Voou,voou,voou,voou.E a menina que gostava tanto do bichinho,chorou,chorou,chorou,chorou".Isso é coisa que se faça?!Criar traumas tão desnecessários?!A vida por si só se encarrega disso,minha gente.

Sem contar que todo mundo já cresce desacreditando no amor: "O anel que tu me deste era vidro e se quebrou.O amor que tu me tinhas era pouco e se acabou".A culpa por haver tanto rompimento de relacionamento é das cantigas de roda.Fato!Pronto!Entendi tudo!

Mas olha!Tava esquecendo da pressão psicológoca e insultos por que passamos e passam nossas criancinhas: "Marcha,soldado!Cabeça de papel.Se não marchar direito vai preso no quartel". A repressão dos tempos da ditadura repassados de forma velada aos nossos filhos.Isso é grave,hein?!Será o prenúncio de quê aqueles tempos voltarão?Menos né?!(risos).

E o tão em voga bullying? Tá lá...nas cantiguinhas, dentro das salas de aula e também na hora do recreio: "O sapo não lava o pé.Não lava,porque não quer.Ele mora na lagoa,não lava o pé,porque não quer.MAS QUE CHULÉ!". Bullying! Não tem outro nome!É bullying com o pobre do sapo e acabou-se!
 
No quesito agressão física, o Grammy vai para a canção:
"Samba Lelê está doente
Está com a cabeça quebrada
Samba Lelê precisava
De umas dezoito lambadas".
O detalhe do "Sambalelê" é que mesmo lapingoxado ainda tem que sambar..."Samba,samba,samba ô lelê...".Ô povo sem coração!
 
Pra fechar com chave de ouro, o grande incentivo à mentira misturado com bullying:
"A Barata diz que tem sete saias de filó
É mentira da barata, ela tem é uma só
Ah ra ra, iá ro ró, ela tem é uma só !
  

A Barata diz que tem um sapato de veludo
É mentira da barata, o pé dela é peludo
Ah ra ra, Iu ru ru, o pé dela é peludo !"

É demais pra mim!Vou repensar o repertório musical de minha filha.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Bola pra frente e óleo Singer!

12 de Novembro de 2009.Eram exatas 21h 25 quando foi cortado o primeiro laço entre mim e Maria Valentina.A emoção a mil me cegou para a importância do corte de seu cordão umbilical.Outros vínculos foram surgindo a cada dia:olhares,abraços,o som da voz e suas entonações,o alimento que até o sexto mês foi exclusivamente o leite materno,além de outros tantos.Filhos são isso: inícios e términos de vínculos.

Hoje mais um vínculo foi cortado.Agora não mais de uma relação de sobrevivência,como no primeiro semestre de vida.Teve fim um laço emocional.E só quase dois anos depois do nascimento dela,pude sentir o que o todo me cegou naquele dia 12. Hoje foi a primeira vez que Mariazinha dormiu em meus braços sem recorrer ao seio materno. Percebi que ela com toda sua pouca idade tirou de letra o "desapego" e eu,trintona,aumentei o chapéu em dois números com tantas caraminholas.Questinamentos e suposições que de nada adiantam,por hora.

Com isso, concluo que a autosuficiência dos filhos deixa os pais muito inseguros. Os papéis se invertem como o girar de uma bola na ponta do dedo. Zump!Quem era pra aprender passa a ensinar e quem era pra ensinar assiste a tudo sem pestanejar,atento como no primeiro dia da faculdade. Posteriormente as coisas voltam ao seu lugar,mas é complicado assimilar quando se está enferrujado.Bola pra frente e óleo Singer.

Caiu um gotícula de vazio no seio,mas o dia de amanhã,o outro e os outros vão apresentando aos poucos o estoque de novos vínculos a serem feitos e encerrados. As mutações nas relações são o que as amadurece!

sábado, 24 de setembro de 2011

Vitrola?Vitrola!!!Heeeein?

Tenho a música como uma das principais artérias do meu corpo.Na alma,digo que ela fica na bainha.Acho que respirar música me faz uma pessoa mais feliz.Meu pai foi diretor da rádio Difurosa logo da sua fundação.Então ele ganhava muitos discos dos mais variados quilates de artista.Ia estocando os bolachões em casa,empilhando muitos deles intactos.Sem ao menos uma passada de vista.Ficava pra mim este prazer.Lembro de muito miudinha mesmo...3,4 anos colocando com todo cuidado os discos na radiola.Adorava saber que a agulha era de diamante.Me achava importante por isso.Vá entender!(risos).Aqueles que não me agradavam iam pro fundo...pros meus fundos!Eu sentava neles e rodava até ficar tonta e eles não prestarem mais pra nada!(mais risos).Cansei de receber agudíssimos gritos de mamãe: "Larissa Maria!!!Pára com isso,menina!Eu gostava tanto deste disco"!Pois é...divergências musicais!

O tempo foi passando e eu virando tonel de canções.Quanto mais velhas mais saborosas.Passei a ter um respeito desmedido pelas melodias,harmonias,notas,tons e todas as mais variadas sensações que elas me apresentavam e apresentam.Se ela fosse palpável pediria sua bênção diariamente.

Na infância já era muito fã de Vinícius de Moraes, Toquinho, Maria Bethânia, Roberto Carlos, João Bosco.Tom Jobim era meu xodó. Enquanto muitas crianças sonhavam em conhecer a Disney,meu grande e único sonho era conhecer Tom Jobim. Ele foi minha primeira grande perda na vida. A sua partida foi a certeza da não realização de um sonho, vivesse quanto tempo eu vivesse.

Compartilhando canções,fiz grandes e verdadeiras amizades.Foi desta forma que conheci um ex-noivo (alguém que sempre será muito importante pra mim).Fazíamos uma espécie de dueto.Ele escrevendo o apontamento no quadro e eu na cadeira da frente copiando e atenta à minha parte que seria a próxima(Sorte).

Mas tão bom quanto partilhar sons é ser apresentada a eles.O antigo me agrada,mas o atual também me atrai muito. Lembro que conheci Legião Urbana na época do apenas Andreas numa turma liderada por Aislan, que ainda hoje canta as mesmas músicas em bares da cidade. Pouco depois chegou a vez de Lulu Santos com seu hit "como uma onda no mar".Na mesma época Rayssa Medeiros apresentou "Happy Hour"(fofa) cantada por Netinho da Bahia. Paralelo às "aquisições" fui me aprofundando no que crescia comigo:Luiz Gonzaga,Charles Aznavour,Amália Rodrigues,Júlio Iglesias,Trio Los Panchos,Chico Buarque, Jorge Ben,Gilberto Gil,Caetano,Nelson Gonçalves,Miltinho,Noite Ilustrada,Benito de Paula,Clara Nunes, Gozaguinha,Martinho da Vila,Moraes Moreira,dentre tantos outros maravilhosos.Teve muita banda Reflexu's e Luiz Caldas também.

A universidade foi o ápice do conhecimento musical alternativo e regional:Narguilê Hidromecânico e suas miniaturas alopradas,Mano Crispim,Teófilo,Banda Acesso,Eita Piula. A turma era o diferencial do momento.Alegria,alegria!Michele Sales discutia a letra das músicas.Acho que ainda hoje faz isso.Em meio a questionamentos sobre a intenção da frase foi que me encantei por Los Hermanos.Sempre que escuto lembro dela,da Guria e da Juliana.Nós:quatro malucas na sala do apartamento no Residencial Monte Castelo,som no mundo,luzes apagadas,sofás afastados e a gente virando bicho!Cantando da altura que nossas gargantas aguentavam!Inesquecível!Michele também apresentou Vanessa da Mata e um cd maravilhoso da Rita Lee cantando Beatles!

Recentemente,na estrada,depois de mandar passar umas 20 músicas de um cd de MPB e o motorista já estar puto,Silva mandou o condutor botar o cd Baião de Dois, de Carlinhos Veloz e César Nascimento.Grande ganho!Até o motorista se animou!rs.

E é assim!A música é meu ar,minha água. Chega a ser pré-requesito pra começar uma amizade. Sério!(riso esticado) Pessoas especiais viram canções em mim e eu espero continuar cantando e me aprofundando e conhecendo cada vez mais sobre esta arte que possui chave mestra  da alma.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Eu que acho...

Nestes últimos dias muitos foram os temas que se ofereceram pra ilustrar o 'Malagueta":quem me apresentou certos estilos de música,como desenvolvi certos tipo de preferências ou sobre o incomparável cheiro do cabelo de nossos filhos, ou ainda uma comparação sobre as infâncias de antigamente com as de hoje(teminha até batido e meio). Mas nenhum dos assuntos passou da primeira página do pensamento. Algo me impulsionava a escrever mais sobre a Teoria de Vidas Paralelas,ainda que eu não tenha desenvolvido nada, até então. De qualquer forma,vamos lá.

No último texto escrevi sobre um pensamento que tive aos 18 anos e chamei de Teoria de Vidas Paralelas.Certo?Certo!No dia seguinte a postagem, conversando Zaza Sampaio,querido amigo, ele falou na vida como uma cebola...cheia de camadas. Me dei conta de que ainda há muito chão pra se escrever pela frente.

A questão de termos duas vidas paralelas se adapta a este momento apenas. Penso que te tanto nascer de uma vida para outra, o tal ciclo vicioso citado no texto anterior, mudanças vão ocorrendo na essência do ser. Às vezes há uma evolução.Noutras, involução. As mudanças no ser chegam a determinado ponto que ele é transpostado para outro estágio, outro nível, outra camada da "cebola". E pra cada esfera, uma razão de ser e um tipo de habitante. Ressaltando que tudo acontece sob o aval de Deus; do início ao fim.

De acordo com a Teoria de Vidas Paralelas, pessoas partem precocemente por terem atingido aquele nível de mudança citado acima e ganham passaporte para outra camada.Não mais nesta,onde vivemos nossa existência em dois planos ao mesmo tempo.

Agora, se a nova moradia é melhor ou não, depende de quem partiu; se foi um jovem por motivos de doença ou durante uma troca de tiros com a polícia. Tratando do segundo caso, numa discussão racional e terrena existe uma questão social, mas não vamos enveredar por aí. O assunto é muito cósmico pra chegar nos Direitos Humanos.Aqui não!rsrs

Penso também que aqui na Terra é como na aula de educação física da escola.Não tem aquela hora de formar dois times?"Tu vem pro meu.Ela vem pro meu.Não,o gordim fica contigo". Então, a vida é uma eterna formação de times.O jogo?O grande confronto está citado no livro do Apocalipse.Vá lá e se intere da coisa.

Vou continuar matutando...

domingo, 11 de setembro de 2011

Teoria de Vidas Paralelas

Sempre gostei de matutar sobre esquisitices e me perguntar coisas mais sem lógica ainda.Diante deste quadro,aos 18 organizei um pensamento e dei o nome de Teoria de Vidas Paralelas. É um estilo de "matemática" da vida, onde temos proporção,equivalência, < (menor que) e >(maior que).Vou tentar explicar...Lá vai!

A Teoria de Vidas Paralelas tenta explicar que existem duas dimensões, esta em que estamos e uma outra desconhecida) e que nós vivemos ao mesmo tempo nas duas.Fala ainda como funciona o nosso desenvolvimento nos dois ambientes, também ao mesmo tempo.

O princípio diz que enquanto envelhecemos aqui,rejuvenescemos na outra dimensão.São vivências paralelas em sentidos opostos.O "ser" daqui fica velho,ao mesmo tempo que o de lá vai ficando jovem. Isso acontece até o momento em que se chega ao marco zero (morte/nascimento). O momento da troca de dimensões.E de tanto rejuvenescer lá,nasce bebê aqui.E de tanto envelhecer aqui,nasce velho lá...Um ciclo vicioso.Nunca pára.O neném vai envelhecendo e o velho vai ficando jovem.

É sabido que os bebês passam grande parte do tempo dormindo, ao contrário de um idoso. Quanto mais velhos ficamos, mais o sono vai ficando limitado,escasso. Já não se consegue dormir tantas horas quanto quando criança.Certo?Ok.

O raciocínio é o seguinte:Quando estamos acordados nesta dimensão,obrigatoriamente estamos dormindo,repousando na outra. Com o passar do tempo, a vivência aqui na Terra vai ficando mais intensa,no sentido de menos tempo dormindo.Ao contrário do que ocorre,ao mesmo tempo,do outro lado; quando o jovem passa a dormir mais e a "viver" menos. O sono funciona como portal para ambas realidades.

Sabe aquelas vezes em que você mal fecha o olho e já sonha?Será sonho mesmo ou a interferência da outra dimensão...Uma espécie de linha cruzada?E as "lembranças" que temos quando acordamos.Serão lembranças mesmo ou vivemos tudo aquilo em outro lugar? E quando alguém jovem "morre"?
Esta foi uma teoria que fiz aos 18 anos e depois não me aprofundei. Ainda existem lacunas a serem preenchidas,mas na hora certa as respostas virão.

P.S.:O que escrevi acima não põe em questão minha fé em Deus.

domingo, 4 de setembro de 2011

Humildade e Consciência Associados

 
Calúnia: Se você acusar a faxineira de ter sumido com seu dinheiro – ou seja, um crime – sem ter provas, estará sendo calunioso e pode passar de 6 meses a 2 anos preso, além de pagar uma multa. Do trio, é o único em que, se você tiver provas, não é condenado.

Difamação: Contou no almoço que a fulana trai o marido com todo mundo? Difamação. Detenção de 3 meses a 1 ano e multa. Detalhe importante: como o crime é a ofensa à reputação, você está cometendo difamação mesmo que prove as puladas de cerca da mulher do cara.

Injúria: É qualquer xingamento dito diretamente à pessoa. A verdade da acusação não muda nada e, caso resolvam processá-lo, você pode pegar de 1 a 6 meses ou ter que pagar uma multa. Detalhe: por estarem na porta de um banheiro público, os exemplos acima são injúria e difamação.
                                                   *******


Então...Todos já passamos por um dos casos citados acima,dois ou dos três.Mas o que leva uma pessoa a difamar,caluniar ou injuriar(tá certo?)?A resposta não muda o resultado.Dizemos que não nos importamos com o que dizem de ruim a nosso respeito.Que ninguém paga nossas contas.Só importa a opinião das pessoas cujo amor é recíproco. "Ahã,Cláudia!" Mas não é mesmo!Sentimos a injustiça na pele, mesmo quando a coisa atirada contra nós é justa ao adversário.Mas sentir mesmo...e...ah como dói...é quando somos usados pra descarregarem a ira, o mau amor, o fracasso, a incompetência, o recalcamento, o mau caratismo curtido dos seres DESumanos.Por vezes, o silêncio é o maior grito de indignação.Uma "rasga mortália" da alma.

E quebram a lei entre risos,bebidas,indicadores pedintes de mais uma dose,na sala de casa, de tantas formas tão bizarras quanto o crime.Mas a justiça sempre é feita.Aqui na Terra, os vereditos são apenas advertências.O castigo verdadeiro vem da justiça divina.Sendo nós os seres mais imperfeitos do planeta, é bom termos de prontidão bons advogados de defesa.Outro dia recebi o cartão de um escritório com ganho de grandes causas no âmbito divinal. Humildade e Consciência Associados.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Quando o corte é a pintura


Não sei como os homens lidam com mudanças.Mínima idéia de como eles reagem quando terminam um compromisso amoroso,quando mudam de emprego.Situações que anunciam nova fase.Sei das mulheres.Mais ou menos(rs).Basta uma decisão de médio impacto na vida pra ela mudar de lugar a cama, os sofás,fogão,geladeira, o lugar que o gato dorme.Podendo,coloca até a mãe em outro cômodo.

Em se tratando de término de relacionamentos ou paixões, o líder na hora de "mudar" ainda é o cabelo.Quem é morena quer ficar ruiva,loura.Se o cabelo é curto põe um mega.Sendo cacheado: "Estire,bem estiradinho!.Pode puxar!".Se é longo,tora!Neste último caso,o risco é grande.Quantas posisbilidades em uma moita de cabelo?Chagas abertas!(rs).E nessa hora, o corte também é a pintura da situação.

A mulher tem necessidade de "pintar" o que sente,o que passa,o que a deixa inquieta.Parece que fazendo alguma destas coisas a angústia diminui.Talvez alivie mesmo. E pra quase satisfazer o sexo feminino, quanto mais sua obra for vista e comentada mais longe vai ficando o(s) motivo(s) das pinceladas...Daqui a pouco nem lembra mais o porquê de tamanha burrada..."Um cabelo tão bonito..."(rs).

O bom é que cabelo cresce e a menos que ela tenha mandado fazer uma cama,sofá ou guarda-roupa de cimento...tudo pode continuar mudando de lugar!

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Eu juro!!!

Sei que é difícil acreditar nisso que vou contar agora, mas lembre que você já passou por mentiroso estando falando a mais absurda e pura verdade. Pois bem...Eu lembro de quando eu só balbuciava. Tinha quase dois anos e tentava falar, mas não conseguia. Fazia força pra ser compreendida, mas meu balãozinho inflava com os dizeres: “Devo ter paciência. Uma hora aprendo a falar e vão me entender”. Juro!Prometo de mão direita erguida que lembro de tudo com nitidez.

Lembro também que mamãe tinha mania de me botar na cama antes de eu estar dormindo completamente. Mais uma vez o balãozinho: “Pôxa, mãe!Não tava na hora de me botar na cama.Eu tava só cochilando...” E como não sabia falar,abria o berreiro. Chôro muito!Por isso, hoje espero muito até botar Maria Valentina em seu berço esplêndido!rs

Muita coisa da primeira infância está viva na minha memória. Quando eu tinha pouco mais de dois anos, fui a um parque de diversões com minha tia e um paquerinha dela. Ele tinha um opala preto (óbvio que só descobri o nome do carro anos depois) e me encheu de mimos: máscara de papel da Salomé (personagem do Chico Anísio), balão de orelha e cintura, algodão doce, pipoca. E a prova de que lembro mesmo é que fui eu a relembrar tudo à minha tia. Ela ficou boquiaberta. Tome!rsrs

O certo é que tem muita coisa nessa vida sem explicação. Acredito que estas minhas lembranças estejam nesse grupo. Vá entender!rsrs. E se eu disser que lembro de quando estava na barriga da mamãe?De repente, nasci com chip terabyte!kkkkk

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Te beeeeeeeeeenze,neném!


Em tempos de assassinatos bárbaros, acidentes com vítimas fatais, escândalos políticos, manifestações sociais reprimidas, briga de marida e mulher na TV, assaltos e seqüestros relâmpagos, dentre outros, digo: rezem e fiquem em suas casas. A bruxa tá solta!Nada melhor que a inércia pra se desviar dos males...Considero a quietude e o silêncio as “armas” mais eficazes para livrar-se dos estilhaços.

Não chamo isso de covardia. Considero atitudes cautelosas. Quem tem medo vive mais, sabia?! Cadê Lampião, Tim Lopes, Joana D’Arc, Ulisses Guimarães (vocês não acreditam naquela morte no helicóptero, né?!Por favor!!!)? “Ah, mas morreram por um ideal”.Tá. Os meus ideais são apenas pela vida. Se você tem um que valha morrer por ele...Eu não tenho!Desta forma, vou me resguardar por um tempo até que este vento reimoso passe...

E como diz o Galego em seu programa na Pioneira: “Te beeeeeeeeeeeeeeeeenze, neném!!!”

sábado, 27 de agosto de 2011

Ah... um lavado de roupa!


Agora há pouco estava lavando peças íntimas no tanque lá atrás e aproveitei o lavado pra cuarar pensamentos também íntimos.

Primeiro me perguntei como estou: finanças,trabalho,família,amores...Achei tudo muito diferente.Que situações doidas.Nem parece que tudo isso está passando dentro da minha vida...dentro da cerca do meu terreno.Foi montado um quebra-cabeça com peças de jogos diferentes.Tá encaixado,mas tudo errado.

Depois lembrei de um tempo muito feliz.Muito feliz mesmo!A felicidade estava no perfume,na água do banho e da geladeira,nas roupas,nos sons...em tudo.E me senti absurdamente desapontada comigo por permitir a troca das peças do quebra-cabeça.Sei que a situação é outra e que a vida é mutante,mas falo do saldo após o balanço.Tá dando pra entender?!rsrs...Então...após tantas constatações, em respeito ao meu passado tão risonho,me vejo na obrigação de continuar sendo feliz e buscá-la cada vez mais.A partir de hoje vou resgatar um coisa que se perdeu um pouco em mim.

E como um pensamento puxa outro...chegou, em seguida, uma frase que uma amiga me disse há muito tempo: "Guria,nunca esqueça como é ser feliz".Caramba!Foi o que aconteceu.Tinha apagado da memória como é ser feliz.E após este lavado de roupa...tudo vai ser diferente...

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Luz...câmera...atitude!

Sempre digo que duas coisas me fazem notar uma pessoa.Ela ter atitude e/ou fé em Deus.Pessoas com iniciativa têm mais chances de errar e de acertar.Vivem mais situações.Conclusão:tudo é positivo. A dúvida raramemte é a opção.Eles são os que caem debaixo da chuva até sozinhos,cantam de olhos fechados dentro do ônibus às 18h.São os que logo abaixam pra pegar os papéis que caíram da agenda da moça.Chamam o idoso pra ficar na vez e explica que ele tem direito à preferência.Sempre conferem suas contas em restaurantes e não aceitam serem enrolados por garçons espertinhos.Vestem-se da maneira que lhes convém(mauricinho ou do reagge).Se posicionam politicamente.Dizem a que vieram na maior;sem mudar a camisa.Ter atitude não é,necessariamente,ser diferente.Mas assumir completamente sua proposta de vida.Ser flexível também é um ato de muita atitude!

E acho mais incrível vendo um inseguro cheio de atitude.É FAN-TÁS-TI-CO,Plin!São ações,gestos e palavras paridos com mais suor e estas atitudes são,de acordo com o colunismo,as "bem nascidas"!rs.O orgulho que tenho de pessoas assim é imensurável.

Onde está a relação atitude/fé?Penso,eu com meu achismo,que quem tem fé não tem medo.E que onde existe a ausência de grandes temores, normalmente é onde transborda a ousadia.Afinal,tem em si a segurança divina...Aquela que não vem de nossas vivências,nem de centenas de sessões de terapia.E digo mais.Nos dias de hoje a relação atitude/fé é de mútua necessidade.

Pra você ter fé e execercê-la tem que ter muita atitude,meu velho.Hoje o mundo é "do contra".Quantas pessoas te chamam pra ir à igreja ou numa conversa informal falam na palavra de Deus?Xiiiiiii....Existe,mas é cada vez mais raro.Dizem até que é besteira esse negócio de reza.Mui amigos...

Pra não me alongar demais,só um parêntese.Acredito na ousadia com responsabilidade(um micro pingo preto no PC está atrapalhando minha concentração).Então,já sem pingo,finalizo a conversa dizendo que ter atitude,ser ousado não é sinônimo de inconsequência.E acho bacana quem paga pra ver,dá a cara a tapa,trabalhando com as possíveis consequências de seus atos,mas sabendo que se, por uma falha nos cálculos...OBSERVE..apenas se,por uma falha nos cálculos,algo der errado,DEUS vai te entregar de bandeja a melhor solução.


                                                  (música "O Quereres" - Caetano Veloso) 

      (Atitude - Movimento que mudou o Brasil) 

Bicho roedor

Escrevi esse texto no facebook e depois achei que cabia aqui também...

Saudade é bicha tinhosa.Quanto mais a gente pede pra ela ir,mais fica.O que ela come?De quê sobrevive?Come nosso tempo,nossa paz,o sossego que já é tão pouco. Ela vive das nossas lembranças, daqueles bons momentos. Ganha corpo e forma pelas pessoas que nem sabem o quanto estão em nós.

 Saudade é querer...querer...querer ter perto.O não ter ou não estar é saudade.A distância é saudade.A falta de uma ligação é saudade.O não atender da sua ligação também é. Ainda tem aquela que começa quando ouve uma música,sente um cheiro.E quando passa em frente a locais testemunhas de agradáveis horas...Tudo é saudade.

É mesmo um sentimento roedor.Cotia...traça da alma.Rói,rói,rói e quando sangra você não agüenta de dor e liga,vê a foto,cheira a fronha;por vezes lamenta não poder acabar com ela,porque têm coisas sem volta. A vida é feita de tudo e de muita saudade também!

A dica é ficarmos amigos desta bendita!Vamos curti-la feito vinho em tonel.Degustá-la até travar a mandíbula...Quando estivermos bem “cocó e trança” ela cansa de ser agradável e vai embora.













(Certeza que nesta hora Albert estava sentindo saudade de alguém)

domingo, 21 de agosto de 2011

A vida não pára...

O sinal da vida está sempre verde.Em raras exceções...um quase amarelo te dizendo pra ter cuidado com a gata que te ofereceu um drink no bar...Agora o verde sempre está.Pode passar.Aliás...passe!A vida não pára pra você atravessar a rua,não pára pra você sofrer sua dor,a sua perda ou seus ganhos. É duro entender isso,mas ela não pede um minuto para estender sua alegria.A vida não "stopa" porque seu filho nasceu,nem porque ele se foi...Ela,simplesmente,não pára.É um trator desgovernado...E nós?Alguma parte de nós também tem de virar máquina pra não sermos esmagados...O que temos de bom ou de ruim...alegre,triste...é o que governa apenas a velocidade da máquina.Freio não há. Certa vez a voz da experiência aconselhou o filho, que logo reduziria a marcha do seu trator, a trabalhar,não ficar no fundo de uma rede curtindo,degustando,mascando sua dor e seu vazio.Ela sabe do verde da vida.
Tomo para mim aquele conselho.O importante é sempre dar um passo após o outro sem se importar com a velocidade dos mesmos...Nunca um pé ao lado do outro! A vida sempre continua!

sábado, 6 de agosto de 2011

Como um anjo...


Anjos!Existem e podem ser bons ou maus.Me permito tratar agora apenas daqueles que nos protegem e nos guiam para o bem. Então...Anjos existem e estão conosco o tempo todo.Pra você que ainda não crê neste fato ou tem lá suas dúvidas quanto a isso,lembre daquela vez que você estava no maior sufoco sem ver uma forma de resolver seu problema.Eis que surge(porque anjos surgem mesmo do nada-rs) aquele alguém que você não vê há muito e que nem tinha grande proximidade.Lembra que foi ele quem resolveu sua pendenga como num piscar de olhos?Certo. Teve ainda aquela outra vez, quando você teve de tomar uma decisão difícil e com rapidez.Não é que a voz que soprou no seu ouvido deu o melhor conselho!Engraçado,né?!rs.

Fora as coisas que acontecem dentro das nossas contadas 24h.É um percurso que você normalmente nem pega,mas neste dia pegou e te livrou do acidente.É um fofo que aperece pra te ajudar a levar as compras que te maxucaram a mão de tão pesadas.A carona que surge quando você mais precisa.O apoio que às vezes vem de onde menos se espera.As soluções que chegam à mente como um projeto pronto.Você andar por certos lugares e chegar em casa são e salvo.Anjos existem!


São invisíveis às nossas lentes,mas eles se manifestam por si ou usam pessoas numa espécie de "me empresta você"..srs.E quando usados por eles,pode-se dizer que foi um pouco anjo também!Tem vez que nos surpreendemos com algumas ações inesperadas que fazemos e cujo resultado é positivíssimo!Por exemplo...Quando damos o que não tínhamos pensado em dar:carinho a um desconhecido,coisas materiais,palavras que saem da sua boca sem você controlar e que mudam a vida do outro.Quando,"sem razão", na ida ao trabalho você larga tudo pra ajudar aquele que passa mal na calçada...Essas coisas,geralmente,são interferências divinas.

Além da minha mãe e minha filha(anjo-mor), tenho ainda duas amigas que são muito usadas pelos anjos pra me ajudarem.São Michele Sales e Graciene Nazareno.Antes eu ficava impressionada demais como elas caiam de páraquedas com a solução do problema sem nem saberem que eu o tinha.Agora só agradeço aos meus amigos anjos pela proteção constante e por usarem pessoas tão amadas como estas duas,além de outros.

Fica a dica!Anjos são enviados de Deus para ajudar a nos proteger e nos guiar.Estão entre nós.Nas sua oração sempre agradeça pelo bem que eles te fazem.Peça a Deus sensibilidade para perceber as ações angelicais e fique vigilante com suas ações para que você tenha a graça de ser usado por um!

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Caixas e jornal...


Acordei com sentimento de dia de mudança. “Arruma tudo direitinho pra não quebrar. Envolve em um lençol pra não sujar. Pode ir colocando tudo no caminhão. Dê mais uma olhada na casa toda pra ver se não esqueceu nada mesmo”. É esta sensação que me acompanha hoje; sentimento de arrumar pra esvaziar e depois reorganizar pra voltar a preencher.

Às vezes de tanto mostrarem as coisas pra nós... enxergamos. E às vezes de tanto não mostrá-las,vemos também. Talvez isso explique esta novata impressão. Por não conhecê-la fico impaciente, querendo quebrar etapas para decifrá-la. Mas faço isso sabendo que é um erro. Todos os passos são necessários para que se chegue bem ou pelo menos até aonde realmente se deve chegar.

 Enquanto isso os rapazes terminam de esvaziar a casa. Não foram contratados por mim. Vieram a mando de outrem. Só aqui mesmo pra um “de fora” esvaziar uma casa que não é sua! Também foi mandado passar um branco gelo por cima dos murais coloridos e das paredes harmonicamente decoradas. Talvez consiga mesmo deixar tudo muito sem graça. De tanto não tentar...uma hora há de conseguir.

Relutei no início da mudança. Em vão!Depois resolvi ficar do outro lado da rua, na sombra, e apenas esperar tudo acabar. Eu sozinha não posso com tanta determinação e força!Meu coração não se engana! Por tudo devemos passar!


sexta-feira, 29 de julho de 2011

Vassoura pra juntar farofa!




Pois é...quando a gente pensa que as coisas estão entrando nos eixos ligam o ventilador e a nossa farofinha voa! Tem nada não!As coisas nunca são só as coisas. Existem os aspectos transeuntes...aqueles que passeiam em torno do fato.Às vezes estes "coadjuvantes" têm mais importância que o galã ou vilão da história.Enquanto limpamos a sujeira, podemos também observar como se comportam os mais diversos núcleos.É como se fosse a hora de colocar o reagente nas pessoas,como numa fórmula química.E os resultados são os mais diversos possíveis:bons e ruins, bons ou ruins,bons,ruins...Tem de tudo!

Agora, o resultado mais expressivo causado pelo reagente pode ser observado em nós mesmos. Dá pra ver  como ficamos depois disso. Dá pra ver como somos realmente e em que mudamos nos últimos meses. E mais.Talvez,com auxílio de um microscópio, enxerguemos em que precisamos mudar.Isso faz toda diferença para evitar repetições de situações e astúcia,jogo de cintura para levar melhor a vida.

As histórias da nossa vida, assim como os reagentes, têm tempo limitado de ação. Nada é pra sempre!Aliás, pode-se tirar de algo passageiro coisas para a vida toda!Tenhamos perspicácia para pegar das prateleiras o que mais nos interessa. E ao invés de deixá-las guardadas no armário, façamos uso disso até que alguém ligue novamente o ventilador e espalhe sua farofinha mais uma vez!